sábado, 25 de outubro de 2008

Perdoe-me


Perdoe-me se não sou quem você certamente imaginava
Se a garota destemida, lúdica, alegre, feliz
Já não existe mais.
É que tais virtudes faziam parte do meu eu quando você estava presente.
Mas agora na ausência da sua presença
Resta apenas uma garota medrosa, triste, covarde, por ora infeliz.
Que segue a vida na esperança de um dia voltar a ser feliz.

Um comentário:

Nathália von Arcosy disse...

doeu. doeu mesmo. doeu de tão lindo, de tão profundo, de tão verdadeiro.

Como cabia tanta coisa boa guardada em você??