quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Tudo posso



Tudo não posso naquele que me pertence.
Não posso te pegar, abraçar e beijar feito louca.
Não posso te fazer somente meu.
Não frente a frente.
Não como fruto do “real”.

Tudo posso naquele que me pertence.
Presente em meus pensamentos mais que secretos
Te beijo
Te abraço
Te Enlouqueço em meus braços

2 comentários:

Anônimo disse...

cada vez melhor, cada vez mais maduro, cada vez mais Hariane.

E para quem não pertence o que quer, a imaginação vai nos ajudando a superar...

Gustavo Bianch disse...

Obrigado por ter comentado no meu blog.
Gosto de poesias intimistas como as suas!

Bjos