domingo, 28 de dezembro de 2008

Saia


Saia do meu quarto

Saia da minha vida

Saia do meu corpo

Saia sem levar meus pedaços contigo


Já não consigo mais dizer não

A boca balbucia palavras sem som

E quando finalmente pronuncio algo

Você fingi não ouvir

Permanece em seu desejo insano

Desse jeito não resisto

Vou mandar você entrar para não mais dizer adeus

4 comentários:

Aline Barbosa disse...

Então...
Obrigada pela visita e pelo comentário!
=]
Brigada mesmo...


Então, acabou desistindo de mandar a pessoa embora, né?
Acontece...

Bjo!
\o7

KêDy disse...

Indecisões em mente..
é justamente a fantasia de nossos poemas e quando estamos desesperados poema nos faz delirar de tanta vida que desabrocha nas poucas palavras..

Concordo com aline no fim de seu comentario
bj

Nathália von Arcosy disse...

ai Hari... seus textos estão tãooo bons!! Que saudade de devorar cada linha. A vida corre amiga e no meu peito não cabe mais essa saudade de você!

te adoro!

KêDy disse...

cadê os textos novos...???
Feliz 2009!!
sucesso!!