domingo, 17 de maio de 2009

Longe de mim



No repouso do dia,

como um pássaro

De vôo rápido,

entra sem avisar

Veio para tirar meu sono

Mais um vez

Mais uma longa noite

Sem descanso

Contigo queimando em mim

Peço-te, por favor, da mesma forma que veio

Dê adeus da minha vida

Não quero tê-lo só no mundo das ideias

Não

O carnal é mais que necessário para satisfazer a mulher em mim

Agora vá,

Sem despedidas

Detesto

Não precisamos deste momento

Como tantos outros que tivemos ou não

Se não for para ser meu

Que não faça parte nem dos meus pensamentos

Se não for para ser meu

Que não faça parte nem dos meus pensamentos

domingo, 10 de maio de 2009

Mãe




Amor maternal

Proteção constante

Grande emoção tê-la por perto


Me faz sorrir em meio à dor

Me enche de carinho e amor

Corrige meus passos

Transforma meu viver


São tantos momentos grandiosos

Que jamais vou esquecer,

Minha mamãezinha querida

domingo, 3 de maio de 2009

Confissão



Querido Roberto,

Talvez não esteja preparado para ler esta carta mas preciso confessar o que sinto. Quando olho nos teus olhos castanhos, centrados e enigmáticos tremo por completa. É você tudo que eu sempre sonhei pra mim. Não esperava ler isso, não é mesmo? Agora, respire fundo, ainda não acabei; precisará de bastante fôlego até o final. Há bastante tempo penso em como dizer o que sinto, planejei inúmeras vezes sonhando umas pensando em outras, enfim cheguei à conclusão: vou escrever-lhe. Acho que você já suspeitava da minha paixão desmedida, loucura não assumida, telefonemas diários, lotação na caixa de e-mail. Tudo, seu bobo, levava a uma única alternativa: paixão à vista. Embora não dissesse com palavras claras dizia por atos, olhares ou por falta de palavra, minha timidez, em alguns momentos, era certeira em me condenar. Ainda assim não percebia. Ao nosso redor fiz um esforço tremendo para não notassem a cara de boba que eu fazia toda às vezes em que falava em público. O tom de voz, a inteligência, que, para mim, é afrodisíaca, me despertava mais e mais para você. Isso sem falar o sorriso, era tão sensual, quando ria por algo engraçado ou aquele meia-boca vindo com um olhar irresistível. Não era nada fácil controlar minhas atitudes diante de você. Se eu fosse enumerar todas as suas peculiares escreveria umas duas folhas, não se engrandeça com isso. É que minha paixão faz-me ver teus olhos, rosto, corpo como únicos perante todos os outros. Agora que você já sabe, tome uma decisão. Sinceramente, espero que não fique chateado a ponto de não me ver mais. Muito pelo contrário, seja compreensivo, ainda que não possamos ser namorados continuemos pelo menos amigos.

Da sua amiga,

Cris