terça-feira, 30 de junho de 2009

...

Parar de escrever no diário

Cujas páginas são quentes como fogo nascente

Fazendo as mãos que o toca ascender

Desejos imaginativos para lá de secretos.

domingo, 7 de junho de 2009

Nada tem graça aqui

Faz frio na sala vazia da minha vida

A cabeça pesa sobre o pescoço

Não suporto a dor

Tenho fome de sair daqui

A solitária mulher quer gritar bem alto

Fazer barulho

Ouçam-me, por favor

Acho que estou fora de mim

Dentro de ti

Confusa como sempre

Mas te querendo cada vez mais

Não posso

Quero

Não posso

Te espero

Tento fugir de mim

Encontro você

E tudo que ouço é não

Abra a porta, por favor

Preciso ser feliz

terça-feira, 2 de junho de 2009

Quarto escuro


Gotículas de água escorrem pela parede.
No quarto, o vidro embaçado. Tenta ver a natureza do lado de fora. Respirar o ar puro e ser livre como um pássaro. Tristeza e solidão batem à porta. Não. Adeus à solidão. Como águia, que voa alto, eu sigo. Adeus quarto escuro.