terça-feira, 22 de setembro de 2009

O tempo

O tempo cura tudo, o tempo faz esquecer, tudo digere, tudo gasta. Atreve-se o tempo sustentar as rochas, mas também a decompor corações dilacerados. São instabilidades da vida que insere o ser humano em linhas curvas, fazendo do caminhar um labirinto constante. De todos os instrumentos utilizados o coração permanece insistentemente contra. O tempo trabalha a finco, descobrindo os defeitos, enfastia-lhe o gosto, tira a novidade das coisas. De amor robusto chega a ser velho. As asas do amor crescem, abrem-se os olhos, voa e foge. Nada lhe fere mais.

8 comentários:

mari-anna disse...

Eu tento realmente acreditar na cura vinda do tempo. Mas acho que o antídoto mesmo é o que ele nos traz;


gostei muito ; parabéns :)

Vagabundo Social disse...

O difícil é esperar que o tempo passe. E quando queremos que o tempo volte para trás ele não volta

Marcela' disse...

Não acho que o tempo cure.. acredito mais naquela frase 'O tempo não cura nada, só tira o doloroso do centro das atenções..'
:/
Beijones!

Franzé Oliveira disse...

Concordo com marcela. O tempo não cura nada, apenas conformamos com as dores.

Bjos.

Sonia Schmorantz disse...

Passando para te deixar um abraço e meus votos de que este final de semana seja mesmo iluminado!
beijo

Nathália von Arcosy disse...

Quero urgentemente saber quando esse blog volta à ativa. =D

Auíri Au disse...

Cadê você companheira de blog?
Beijos

Juliano 2010 disse...

Gostei! Por sinal já escrevi dois artigos sobre o TEMPO. Parabéns.