domingo, 24 de janeiro de 2010

Água na cintura

Pertences completamente estragados

Cadê a criança com o desmoronamento da casa?

Ouve-se um gemido

Os bombeiros apressam-se nas buscas

O temporal não cessa

Não há abrigo para dormir

O nível da água não para de subir

Entre escombros encontram uma criança viva.

Cansaço recompensa-se com a alegria.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Meu corpo grita pela presença

de algo que nunca foi realmente dele


Não se conforma

Com a ausência mal consentida

Com o telefonema não atendido

Com a mensagem não recebida


A indiferença bem resolvida no dia-a-dia.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

"Eu só quero respirar
Fundo, bem fundo
Sem sentir teu cheiro em mim
Sem te sentir parte de mim".